Por que é importante pesquisar antes de escrever um livro

Não importa qual o gênero, todo livro deve envolver o leitor. Em obras de ficção, existe o conceito de “suspensão da descrença”. Significa que o leitor deixou de lado aquilo em que não acredita para aceitar o que o livro o apresenta.

No entanto, para que o leitor possa suspender a descrença, o autor deve preparar um cenário verossímil. Ou seja, os eventos do livro não precisam ter acontecido na vida real, mas parecem possíveis de acontecer, ao menos dentro daquele mundo ficcional.

Pode-se acreditar que a base real “poda” as asas da imaginação, mas poucos autores que levam seu trabalho a sério pensam dessa forma.

Um ebook que falha em ser verossímil desinteressa os leitores. Uma cena que não parece possível nem mesmo na ficção funciona como um choque, que acaba com a suspensão da descrença e corta o clima do livro.

Desse ponto de vista, é possível imaginar um mundo em que existam unicórnios e que o sangue deles conceda vida eterna. É até mesmo aceitável conceber a ideia de que essas criaturas mágicas tenham uma série de superpoderes.

Só não podemos nos esquecer de que unicórnios são inspirados em cavalos e que, caso você esqueça as características básicas de um cavalo, o unicórnio já não parecerá possível ou sequer com um unicórnio.

A ficção científica também conta com um nível indispensável de pesquisa. No geral, as obras de ficção científica contam com uma base teórica real para imaginar invenções que ainda não são possíveis. Essa base teórica permite até mesmo que diversos livros ou ebooks de ficção científica consigam “prever” o futuro da ciência até certo ponto.

O filme 2001: Uma Odisseia no Espaço, de Stanley Kubrick, foi lançado em 1968, mas seu alto nível de realismo faz o filme parecer uma obra muito mais recente do que realmente é.

Fontes de pesquisa

São diversas as possibilidades diferentes de pesquisa. Primeiro, sobre o que é sua história? Onde e quando ela se passa? O que você precisa pesquisar? Existem alguns aspectos óbvios. Por exemplo, em um romance histórico, o autor deve pensar nas tecnologias que já existiam na época do livro e como era o cenário.

Às vezes podemos nos esquecer de pequenos detalhes, como o fato de que os smartphones, que hoje são tão essenciais na nossa vida, só se tornaram populares no final dos anos 2000. É possível que um autor cometa a gafe de fazer uma personagem usar um smartphone nos anos 90.

Visualize o cenário da sua história e encontre seus objetos de estudo: uma cidade, uma época, uma profissão. Levante questões importantes como o clima, estilo de vida, comportamento, vestimentas, comida, entre outros. Considere todos os elementos que formam um mundo verossímil.

Pode-se dizer que as quatro fontes principais para pesquisa são a internet, canais de mídia (como livros e programas de TV), viagens e pessoas.

Internet

A fonte mais econômica e prática é, sem sombra de dúvidas, a internet. Cabe um mundo inteiro dentro dela, o problema é a veracidade das informações.

Evite sites que podem ser editados por qualquer pessoa, como a Wikipédia. Fontes duvidosas, no geral, servem apenas como um ponto de partida para a sua pesquisa. Talvez o artigo da Wikipédia possa levantar alguns nomes e questões importantes que você ainda não tinha considerado, e a sessão de referências pode ser particularmente útil.

Existem os mais diversos tutoriais no YouTube também. Caso você precise observar o comportamento de um animal específico, por exemplo, pode encontrar lá.

Mídia: livros, séries de TV

Outra fonte de extrema importância é a mídia, a arte. Programas fictícios de televisão que apresentam o mesmo contexto da sua obra são pouco confiáveis, mas ainda podem servir de inspiração.

Por outro lado, obras que vêm diretamente do contexto em que você procura são de um valor imensurável. Quem pode descrever a vida de mulheres africanas melhor do que as próprias mulheres africanas? Desde obras de ficção até diários e registros, todas essas informações são importantes. Documentários e livros descritivos também são de grande ajuda.

O interessante de contar com mídia na sua pesquisa é ouvir as vozes de pessoas que viveram as experiências que você busca retratar. Mais do que fatos, você possivelmente também encontrará inspiração.

Viagens

Uma maneira excelente de pesquisar, mas que não é possível para todos, é viajar para os locais de referência. Não existe maneira melhor de visualizar o contexto de uma obra do que experimentando-o em primeira mão.

Visitar locais históricos, museus, a cidade onde se passa seu ebook, locais de trabalho da profissão do seu protagonista, entre outros, são todas experiências frutíferas. Os problemas são, é claro, as dificuldades para fazer a viagem. Nem todas as pessoas têm o tempo ou dinheiro para investir.

Além disso, certas obras se passam em locais que não existem mais ou que ainda não foram criados. Nesse caso, é interessante buscar locais que funcionem como substitutos e inspirem você. Não vivemos na Terra Média, mas os filmes do Senhor dos Anéis, por exemplo, foram filmados na Nova Zelândia. Logo, se você fosse J.R.R. Tolkien, talvez compensasse visitar a Oceania.

Pessoas

Por fim, procure pessoas. Para os autores mais introvertidos, talvez isso pareça um pesadelo, mas os resultados valem a pena.

Existe alguém que tenha o conhecimento técnico que você precisa? Ótimo, ligue, visite ou mande um e-mail para essa pessoa. Converse com ela. Entreviste-a.

Lembre-se de que as pessoas que merecem ser entrevistadas nem sempre são experts ou estudiosos. Elas podem simplesmente ter vivido em primeiro mão os assuntos que você deseja abordar.

Conheça histórias, rostos, vozes.

Fatos ou feeling

Utilizar pesquisa para escrever um livro de ficção não se trata de sufocar o leitor com fatos e informações. O propósito é criar uma história verossímil e envolvente, que seja vívida e fácil de imaginar para o leitor.

Conhecer histórias de pessoas reais pode tornar suas personagens mais complexas e carismáticas. Descrever com detalhes a sensação de comer um certo prato típico, sem fazê-lo parecer exótico, mas familiar, pode marcar um leitor para sempre.

Use essas informações para tornar o mundo de sua história em um lugar real nas mentes dos leitores, que poderá ser visitado a qualquer momento, mesmo sem o livro em mãos. Trabalhe com sensações e sentimentos.

Sua pesquisa deve ser como um iceberg, apenas parte dele é exibida, mas sem toda a massa que existe nas profundidades das águas, ele não seria tão poderoso. Às vezes icebergs nem sequer são avistados, mas podem afundar um navio inteiro.

A pesquisa é a base do seu ebook. O resto, você produz com sua imaginação e capacidade de desenvolvimento de enredos.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *