Passo a passo para escrever uma biografia

As biografias são livros que se encontram em algum lugar entre a não ficção e os romances. Em tese, elas descrevem a vida de uma pessoa real de maneira fiel e precisa. Mas, para que a leitura seja interessante, não basta apenas listar os fatos.

O autor deve organizar os pontos altos da história e usar sua melhor narrativa para não só informar, mas também cativar os leitores.

É nesse ponto que a biografia se assemelha ao romance. A história pode não ser inventada, mas a perspectiva sob a qual ela é contada não é de todo imparcial. Ela contém a visão única e inspirada do autor.

Uma boa biografia surge com a mesma motivação de um livro de ficção. Ou seja, é uma ideia apaixonada que vêm à mente do escritor e é concretizada em palavras. E, para que um leitor se interesse pela biografia, o escritor deve se interessar pela pessoa que protagoniza essa história.

Essa é a diferença entre a biografia e um livro de história. O que torna a biografia interessante não são apenas os eventos descritos de maneira neutra, mas também os sentimentos e motivações por trás deles.

Por isso, vamos ao primeiro passo do nosso guia para aprender como escrever uma biografia…

1.     Encontre sua inspiração

Não estamos falando da inspiração como uma lâmpada que subitamente se acende sobre a cabeça de um escritor, muito menos estamos sugerindo que essa luz precise estar acesa durante todo o projeto criativo.

Quando falamos de inspiração, queremos dizer que, para escrever uma biografia interessante, você deve encontrar uma pessoa que realmente inspire você a escrever um livro.

Alguém cuja vida ou pensamentos foram tão ricos que seria um prazer para você (ainda que cheio de desafios) pesquisar, escrever e publicar ebook biográfico sobre essa pessoa. E, de preferência, alguém que também é capaz de atrair alguns leitores.

O biografado pode ser uma pessoa muito famosa, mas nem sempre isso é necessário, desde que se tenha uma história bastante interessante a contar.

Por exemplo, sendo o biografado um sobrevivente com grandes feitos durante a guerra, mesmo que o seu nome não seja conhecido ainda, a biografia poderia atrair diversos leitores interessados em sobreviventes da guerra.

Tendo em mente quem inspira você e quais são os pontos mais interessantes da vida dessa pessoa, você pode pensar em um tamanho estimado para a biografia e em qual tema ela seria centrada.

Algumas pessoas têm vidas cheias de altos e baixos capazes de prender um leitor por algumas centenas de páginas. Outras merecem biografias focadas em um momento específico no qual eventos grandiosos aconteceram.

Para compreender melhor qual deve ser o ponto central dessa biografia, você deve perguntar a si mesmo por que você quer escrevê-la. O tema estará na sua resposta.

2.     Faça uma pesquisa de mercado

É sempre uma boa ideia garantir que um projeto de ebook é comercializável antes de começar a pesquisar ou escrever. Quando se trata de biografias e autopublicação, isso não é diferente.

As biografias são livros que exigem muita pesquisa e trabalho duro, além de muitas vez ser necessário conseguir permissão do biografado ou de sua família para publicar livro. É um esforço muito grande se o seu livro não trouxer resultados.

Por isso, sugerimos que você faça as seguintes perguntas antes de dar início à biografia:

  • Há informações suficientes disponíveis para escrever essa biografia? O custo para acessar essas fontes será alto?
  • Existem outras biografias sobre essa pessoa disponíveis no mercado? Se sim, como você pode se destacar da concorrência?
  • Existe um público disposto a ler sobre o biografado e/ou os eventos que ocorreram em sua vida? Há interesse de mercado?
  • A vida dessa pessoa contém eventos marcantes o suficiente para render um livro inteiro? Um artigo não seria o suficiente?

Responder essas perguntas corretamente exigirá não só reflexão, mas também pesquisa propriamente dita.

Essas dúvidas serão o seu guia durante a pesquisa de mercado e, após levantar as respostas necessárias, você poderá tomar uma decisão informada sobre continuar ou não o seu projeto.

3.     Pesquise a fundo sobre o biografado

Muito bem, projeto validado. Agora é hora de arregaçar as mangas e começar a pesquisa para escrever livro. E haja pesquisa!

Para facilitar o seu trabalho, você pode organizar os tipos de pesquisa que podem ser feitos em ordem de quais são mais fáceis e mais úteis para o seu projeto. Dependendo da época e lugar onde o biografado vive ou viveu, as estratégias podem ser bem diferentes.

Por exemplo, se é uma pessoa que ainda está viva e fala o mesmo idioma que você, a melhor aposta é tentar conseguir uma entrevista. Algumas abordagens diferentes, nesse caso, são:

  • Entrevista fechada (estruturada) – o autor prepara uma série de perguntas com antecedência e mantém a entrevista focada somente nessas questões
  • Entrevista por pautas (semiestruturada) – o autor levanta tópicos de interesse, que são organizados por conexão entre os assuntos. Durante a entrevista, faz poucas perguntas diretas e deixa o biografado falar livremente, desde que se mantenha no assunto desejado
  • Entrevista focalizada (semiestruturada) – o autor se foca em um tema específico, mas permite que o entrevistado fale livremente desde que se mantenha no tema
  • Entrevista livre (não-estruturada) – o autor mantém uma conversa informal com o biografado voltada para a coleta de informações

Caso o biografado já tenha falecido, mas ainda tenha família e amigos vivos, você pode tentar contatá-los. Quanto mais próximas e fiéis as informações que você conseguir, melhor será para a biografia.

Ainda assim, na maioria dos casos, a entrevista não descarta outros tipos de pesquisa. E, quanto mais distante você estiver de uma conversa direta com o biografado, mais você precisará ler sobre ele.

Visite bibliotecas e museus. Leia artigos e entrevistas. Compre livros, revistas e o que for. Procure especialistas no assunto. Se possível, viaje para os locais onde o biografado esteve, como instituições de ensino, por exemplo.

E, sempre que conveniente, vá além. Se o biografado viveu em uma época ou local muito diferente da sua realidade, é interessante pesquisar a fundo sobre os costumes e estilo de vida que essa pessoa vivenciou. Adicione profundidade com um plano de fundo real.

4.     Organize as informações e escreva

A pesquisa está pronta e você já sabe tudo o que precisa saber sobre a vida do biografado. Agora começa outra etapa: organização e escrita.

Como já falamos, a biografia, em muito, se assemelha a um romance. Isso porque, muitas vezes, ela tem estrutura narrativa e deve ser escrita de forma cativante. Mas, ainda mais do que em qualquer romance, é importante planejar o “enredo” ou “roteiro” da biografia antes de escrevê-la.

A vida de uma pessoa, em geral, reflete um grande período de tempo. Você já escreveu algum romance que englobasse mais de 20 anos de história? Se sim, provavelmente era uma série de livros ou tinha diversas transições no tempo.

Existem, de fato, algumas biografias que aderem a um modelo diferente. São estruturadas em tópicos, mencionam todos os detalhes possíveis e têm milhares de páginas. Essas biografias costumam ser sobre pessoas muito famosas e têm um enorme apelo estético. Não é uma boa ideia para um ebook.

Em vez disso, é mais interessante pensar em um livro que seja capaz de atrair até mesmo um leitor mais casual. Uma leitura leve, estruturada e envolvente.

Uma leitura que informe sobre os eventos e questões mais importantes da vida do biografado, de forma que o leitor sinta que aprendeu algo novo e intrigante com a leitura. Ou seja, nada de detalhes triviais.

Para filtrar quais informações você deve incluir, é bom se perguntar qual o foco da sua biografia: um aspecto específico da vida do biografado ou sua vida em geral? Então, pense em quais eventos contribuíram para a construção dessa pessoa.

A seguir, você deve pensar em como deve ser a estrutura da biografia. Em geral, os   autores de biografias optam pela ordem cronológica, mas você também pode organizar em tópicos, entrevistas e até mesmo “in media res”, isto é, começando pelo meio da história (ex.: auge da fama) e voltando para o começo, com flashbacks da “origem” do biografado.

E, depois de tudo isso, é hora de escrever

Com senso de humor, muita paixão, um pouco de suspense e tudo o mais que compõe uma boa narrativa.

Não importa se o que está descrevendo são fatos reais. O seu livro não precisa ser entediante, pelo contrário.

A vida real não tem forma ou estrutura. Diálogos reais são cheios de hesitação e redundância. Pessoas fazem quase as mesmas coisas todos os dias, comendo feijão com arroz, trabalhando e assistindo TV. Não há um começo e fim grandioso. A morte pode vir com uma ervilha engasgada.

É o seu trabalho tornar tudo isso em algo curioso e fascinante, mostrando uma possibilidade de existência diferente, onde a vida se assemelha um pouco à ficção.

Assim, você terá escrito uma bela biografia.

E aí, autor? Alguma experiência escrevendo biografias? Compartilhe com a Bibliomundi!

4 Comentários

    1. NAYARA SANTOS ANDRADE

      Olá, tudo bem ?
      Já encontrou um escritor ?
      Se precisar pode entrar em contato, estarei disponível para escrever seu livro.

      Responder
  1. Robsn Veiga

    Dúvidas:
    1 ao publicar uma biografia, como fica os direitos auorais: somente do biografando ou dividido aos dois?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *