O que é o sucesso?

O desejo pelo sucesso é algo presente na vida de qualquer ser humano. Nos sentimentos insatisfeitos com o presente, temos sonhos e objetivos para alcançar e, frequentemente, nos comparamos uns aos outros como meio de medir se alcançamos o dito sucesso ou não.

Sucesso, sucesso, sucesso. É quase uma definição do seu status social ou uma medida da felicidade.

Mas o que é o sucesso, afinal de contas? Se ele fosse algo único e universal, todos seguiríamos os mesmos passos e viveríamos vidas iguais. Não é o caso.

Algumas pessoas acreditam que o sucesso é passar para a faculdade de medicina, concluir o curso e ter uma profissão bem remunerada e de prestígio. Para outros, pode ser algo muito menos material, como poder olhar para a natureza todos os dias ao acordar de manhã.

Quando pensamos em escritores, também existem diversas definições possíveis para o sucesso. Para alguns, simplesmente escrever, de fato, sem procrastinar e abandonar projetos, já é o suficiente.

O blog da Bibliomundi tem como objetivo ajudar cada um de nossos autores a alcançar o sucesso. Isso só é possível se você mesmo entender: qual a sua própria definição de sucesso? Sabendo a resposta para essa pergunta, poderá construir sua carreira com base no que realmente importa.

Qual é a sua meta?

Uma maneira simples de definir o “sucesso” é substituindo-o por uma palavra muito mais simples e objetiva: metas. É aquilo que você pretende alcançar. A sua linha de chegada, que conclui uma “missão”.

Algumas possibilidades de metas para escritores são:

  1. a) Completar um projeto criativo
  2. b) Apenas escrever e ser lido
  3. c) Ser um best-seller
  4. d) Ganhar prêmios literários
  5. e) Viver da escrita

Separamos algumas dicas para você alcançar seu sucesso em cada uma das metas acima.

Meta A – Completar um projeto criativo

Para aqueles que se identificam com a meta A, o mais importante é a satisfação de concluir um projeto. Não é para menos. Completar um livro é para poucos. A maioria das pessoas apenas sonha com as palavras, mas não as coloca no papel.

Ao publicar o seu primeiro livro, você poderá ter o prazer de dizer que conseguiu ir até o fim. Apenas isso já faz a diferença. E, depois desse, muitos outros projetos virão.

Se você tem dificuldades e ainda não alcançou essa meta, não tenha medo. “Ser para poucos” não significa que a escrita não é para você. Cada indivíduo possui a capacidade de completar um livro. O que falta é a disciplina, que pode ser obtida com um pouco de planejamento e treino.

Artigos que podem ajudar:

A importância da disciplina para um autor profissional

Iniciando o primeiro livro

Meta B – Apenas escrever e ser lido

Pode-se dizer que essa é a mais poética das metas. Os escritores que se identificam com a meta B querem apenas ter o prazer de se expressar com as palavras e que, no fim do dia, alguém leia a sua obra.

Embora simples, é um objetivo que faz sentido. Afinal, o gosto pela escrita é uma característica essencial para um autor e nosso trabalho só se realiza quando encontramos o público. A questão é: como alcançar os leitores? Como saber se eles leem ou não?

A plataforma da Bibliomundi facilita um pouco essa tarefa ao oferecer gráficos atualizados diariamente com informações sobre seus leitores. Dessa forma, você pode conferir se está sendo lido ou não. Contudo, é possível ir além.

Por que não se comunicar diretamente com os leitores? Ainda que o seu objetivo não seja divulgar seu livro com foco em vendas, você pode se beneficiar de alguns recursos como as redes sociais ou blogs para que o seu público envie feedbacks diretamente para você.

Escrever também representa criar significados. Às vezes, a contribuição coletiva é o impulso que você precisa para alcançar a sua versão pessoal e intransferível do sucesso.

Artigos que podem ajudar:

Quem é seu público e como você deve se comunicar com ele

Como você pode se tornar um autor melhor

Meta C – Ser um best-seller

Se você acompanha o site e o blog da Bibliomundi, já sabe que acreditamos que você pode ser o best-seller de amanhã. Se não nos levou a sério, está na hora de mudar de opinião e postura. Acreditar em si mesmo é o primeiro passo.

O escritor que deseja ser um best-seller deve ser também um empreendedor. Estamos falando de sucesso comercial e, na maioria dos casos, ele não é alcançado por acaso. Publicar um bom livro, que além de bem escrito possui um tema interessante, muitas vezes não é o suficiente.

Existem outros aspectos a se levar em consideração, como a qualidade da capa, a estratégia de divulgação, as oportunidades do mercado e até mesmo a sua reputação. Por exemplo, é de conhecimento geral que alguns gêneros de livros vendem mais do que outros.

Talvez você esteja pensando: “eu não sou designer ou publicitário, como posso fazer uma boa capa e divulgar meu livro?” ou “ninguém me conhece, quer dizer que meu livro não vai vender?”. Se sim, esqueça a negatividade. Existem soluções para os seus problemas.

Embora falemos de autopublicação e liberdade criativa, você não precisa se esforçar sozinho para transformar seu livro no melhor produto possível. Existem ferramentas gratuitas de design, voluntários dispostos a ajudar na edição do seu livro, guias de divulgação e, é claro, profissionais muito competentes que podem levar sua marca para outro nível. A união faz a força.

Quanto à sua reputação, a maioria dos autores de sucesso já foi um “zé ninguém”. Esse quadro pode mudar. Você tem em suas mãos as ferramentas necessárias para isso. Redes sociais, sites, anúncios, colaborações entre autores e a mais simples de todas: seus próprios livros.

Um leitor satisfeito é um leitor fiel em potencial. Quanto mais livros você publicar, maior o público que você alcançará, maiores as chances de você criar uma reputação e ganhar fãs. Comece o trabalho hoje e amanhã terá os resultados.

Artigos que podem ajudar:

O autor empreendedor: seu nome, sua marca

Como otimizar as vendas

Meta D – Ganhar prêmios literários

Essa é provavelmente a meta mais ambiciosa entre as cinco. O escritor que sonha em ganhar prêmios literários não quer apenas escrever ou vender. Ele quer ser reconhecido por alguma instituição que valoriza a literatura, quem sabe até ser imortalizado.

Embora as premiações costumem ser atreladas a métodos mais tradicionais de publicação, o espaço dos autores independentes está crescendo. Com isso, estão surgindo oportunidades únicas e premiações que abrangem essa não tão nova realidade que é a autopublicação.

Existe, por exemplo, o Prêmio Sesc de Literatura, que desde 2013 visa incentivar a produção literária em língua portuguesa e revelar novos talentos criativos. Isto é, promover autores como você.

Aos vencedores, é garantida a participação nas programações literárias do Sesc e a publicação da obra enviada sob o selo Record. O livro é, então, distribuído para todas as bibliotecas e salas de leitura do Sesc. Uma oportunidade única para garantir sua divulgação a nível nacional.

Para participar, basta se inscrever. Ou seja, até a mais ambiciosa das metas pode ser alcançada se você correr atrás. Não perca tempo.

Artigos que podem ajudar:

5 dicas para cativar os leitores de ficção

7 dicas para melhorar a escrita

Meta E – Viver da escrita

Por fim, mas não menos importante, temos os escritores que se identificam com a meta E. São aqueles que querem depender apenas da escrita, e não de outras fontes de renda. São os “autores em tempo integral”.

Escolher a escrita como profissão não deveria ser motivo para espanto. É um emprego como qualquer outro. Mas se prepare para o trabalho duro.

Antes de largar seu emprego atual e se dedicar integralmente à escrita, deve se considerar algumas questões:

  1. A renda conquistada nos primeiros meses não será impressionante. A sua “lojinha” tem apenas um produto: o seu primeiro livro, que além de barato, ainda não é muito conhecido. Publicar mais livros é essencial para conquistar uma renda mais estável.
  2. Se você quer viver da escrita, você deve considerá-la um negócio. O seu nome é a sua marca, seus livros são seus produtos. Está na hora de empreender. Crie uma estratégia de marketing de conteúdo, corra atrás de suas vendas, cuide dos seus direitos autorais e administre seus ganhos.
  3. A maioria dos escritores empreendedores se desdobram para conquistar uma renda sólida. Além de contar com seus royalties, você pode manter um blog e oferecer workshops sobre escrita, produzir merchandising, entre outras possibilidades interessantes.

Se essa possibilidade o desanima, como se buscar alternativas para pagar as contas o diminuíssem enquanto autor, pense que até mesmo Charles Dickens oferecia aulas e leituras remuneradas.

Artigos que podem ajudar:

Autor em tempo integral: a escrita como fonte de renda

Como melhorar sua produtividade para a escrita

Definir metas específicas contribui para o desenvolvimento de um perfil profissional específico. Com seus objetivos em mente, fica mais fácil encontrar o caminho certo para o sucesso: aquele que só pode ser trilhado por você.

E aí, autor? Já sabe qual a sua definição do sucesso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *