Livro digital ou impresso? Esqueça essa disputa

Quando os ebooks surgiram como um formato estabelecido, as editoras e principalmente os saudosistas tremeram na base, com medo do que isso poderia significar para os livros impressos. Logo depois, no entanto, o que vieram foram os boatos de que o mercado de ebooks estava em decadência, de que a nova moda não tinha colado. Um falso boato.

Como explicamos no artigo Novos mercados de ebooks para editoras, os livros digitais representam um mercado em expansão, cujas vendas estão fora da curva. As pesquisas que apontam para o seu fracasso baseiam-se em padrões tradicionais de venda e publicação. Nesse quesito, de fato, as vendas dos livros impressos seguem invictas. Isso significa também que os ebooks não apresentam ameaça alguma para os livros impressos, para a felicidade dos saudosistas.

Agora, se os ebooks estão crescendo cada vez mais e os livros impressos, apesar da crise no setor editorial, seguem firmes e fortes… onde está a disputa entre os formatos? Não era para o ebook acabar com o livro impresso ou vice-versa? Está nítido que a resposta é não. Os ebooks e os livros impressos podem e devem coexistir.

É normal ver as qualidades de cada formato listadas umas contras as outras, a fim de decidir qual o melhor. O ebook é mais prático e econômico, o livro impresso traz uma experiência clássica. No fim, trava-se uma batalha de preferências em vez de olhar para a resposta mais óbvia: ambos são bons. E de maneiras diferentes, pode-se dizer até complementares.

É preciso escolher um ou outro?

Para o leitor, decidir entre ebook ou livro impresso é uma questão de quanto dinheiro ele tem disponível, se olhar para a tela do celular irrita seus olhos, se ele tem espaço em casa para guardar o impresso, se ele vai precisar carregar o livro em uma bolsa pesada. Preferências pessoais.

Agora, quando falamos de autores e editoras, a pergunta toma outras dimensões. Impresso ou digital? Qual a melhor opção para se publicar? Às vezes é necessário escolher um só, afinal, os recursos são limitados em tempos de crise. Contudo, cada vez mais recomendamos que você pense “por que não os dois?”.

Sendo necessária a escolha, os ebooks apresentam vantagens óbvias para o autor independente. Eles são virtualmente gratuitos, a porcentagem em royalties é alta, a distribuição é ampla e a formatação é simples. O processo é mais rápido, mais barato e muito, muito menos complicado do que a publicação de um livro impresso.

Além de ser uma boa porta de entrada para autores independentes, a publicação de ebooks também é uma ótima opção quando o assunto são livros já disponíveis no formato impresso. Quase sempre, a conversão do formato impresso para o digital dará certo, e o livro alcançará um público maior. É vantajoso para os autores e também para as editoras.

Optar pela versão impressa pode ser um pouco mais complicado. Adicione à receita do bolo os ingredientes: custo de impressão, formatação página por página, frete e distribuição para lojas e livrarias (será que você conseguirá expor o livro nas prateleiras?), entre outros. Se a autopublicação de ebooks pode ser feita por uma pessoa só sem grandes problemas, os livros impressos tendem a exigir um batalhão.

Por esse exato motivo, quando falamos de livros impressos, pensamos em editoras. Elas têm todos os recursos necessários para produzir, imprimir e distribuir livros impressos. E, quando pensamos em editoras, não podemos nos esquecer que essa modalidade de publicação, em geral, exige que seu livro seja aprovado primeiro. Querer não é sempre poder.

Mas calma. Existem opções. Primeiramente, é possível que seu livro seja aprovado. Em especial se você é um autor independente com vendas significativas no meio digital. E, como alternativa, você pode optar pelo modelo de impressão sob demanda. Em outras palavras, em vez de imprimir para depois tentar vender, você venderá primeiro para imprimir depois. Existem caminhos.

Para as editoras, recomendamos a conversão de catálogo. Todos os livros impressos merecem uma versão ebook. E, quanto ao movimento contrário, considerando que custa caro produzir uma versão impressa, é uma questão de observar as vendas de cada ebook e decidir quais títulos merecem o investimento.

Para os autores, é inteligente analisar todas as suas opções. Tem editoras em contato com você? Quais as suas possibilidades de publicação no momento? Publicar ebook é sempre viável. E, caso suas vendas estejam indo bem, não só você terá uma vantagem nas negociações com editoras, como também uma garantia de que valerá a pena investir em métodos alternativos de publicação impressa.

E aí? Gostou do texto de hoje? Fique ligado no nosso blog e, em breve, falaremos um pouco mais sobre a publicação sob demanda!

1 comentário

  1. Felinto Fábio

    Vantagens e desvantagens do livro digital em relação ao livro comum

    A principal vantagem de aderirmos a prática do uso do livro digital é a questão da diminuição do desmatamento para extração de celulose, matéria-prima na produção dos livros de papel. Sabemos bem que os livros nem sempre vem sendo utilizados e cuidados devidamente para que possam ser repassados para outros sem que haja a necessidade de fabricar outros livros. Com isto, os livros tornam-se um peso a mais para os estudantes que tendem a maltratar o material e possivelmente descartá-lo mais tarde. Neste sentido, a indústria não para de produzir mais e mais livros e isto implica em extração da matéria-prima na natureza. Daí destacamos a prática do uso dos livros digitais que por sua vez reduzem ao máximo a utilização de material extraído da natureza, sem falar que não pesará tanto na sua mochila, onde que se você carregasse consigo cinco livros que seria bastante pesado, um kindle pode carrega um acervo completo de livros digitais sem te causar a menor dor muscular com relação ao peso de carregar toda uma biblioteca consigo. Com estes tipos de leitores digitais você pode, reduzir o brilho para ler seu livro a noite sem prejudicar a visar, aumentar caso assim queira, excluir e adicionar novos livros e dentre outras vantagens de se ter um aparelho deste. A principal desvantagem do livro digital é a questão de se possuir internet para baixar seus acervos, e possuir um desses leitores que custam em média trezentos, quatrocentos reais. Bom, tendo isto, você terá um enorme acervo de diversos livros ou até mesmo revistas dos mais variados gostos que dispuser.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *