Dicas para escrever um livro que nunca passaram pela sua cabeça

Escrever um livro não é fácil. Não estamos sequer falando de escrever um bom livro (até porque, quem pode decidir o que é ou não um bom livro?), mas de simplesmente escrever um livro do começo ao fim. Escrever até o ponto final.

Não, não é fácil. Mas se você quer publicar livro, é necessário, e não tem por que ficar enrolando com esse projeto com a autopublicação de ebooks dando sopa.

Hoje, vamos oferecer dicas para escrever um livro que nunca passaram pela sua cabeça. Com certeza, se você fala abertamente sobre seus projetos literários, já deve ter ouvido muitos conselhos diferentes que supostamente eram para facilitar esse processo criativo, ou pelo menos já ouviu alguém perguntar por que não escreve logo então.

Quando você é um escritor que nunca escreveu um livro até o final, é um pouco desagradável lidar com as expectativas das pessoas que acham que você já deveria ter um livro pronto. Mas não se estresse, não dê ouvidos para essas pessoas. Tudo ao seu tempo. Agora é hora de começar do começo, só assim você chegará no final.

Como já explicamos no artigo A importância da disciplina para um autor profissional, criar o hábito de escrever diariamente é muito eficaz, se não fundamental, para quem planeja publicar ebook.

O segredo para estabelecer essa rotina de maneira eficiente é buscando metas realistas e métodos que combinam com a sua personalidade. E é isso que vamos ensinar nas dicas para escrever um livro de hoje.

Comece pequeno, um passinho de cada vez

Se você ainda não estabeleceu uma rotina de escrita, a primeira dica para escrever um livro é criar um limite de tempo diário. Sim, você entendeu certo: estabelecer um tempo máximo para escrever, não um tempo mínimo, pode ser uma ótima ideia para escritores que estão começando a se disciplinar.

A ideia por trás dessa estratégia é acabar com os dias improdutivos. Quando você estabelece um tempo mínimo para escrever, é como se você tivesse uma meta para ultrapassar e, muitas vezes, essa pressão causa mais frustração do que qualquer outra coisa. O objetivo aqui não é se estressar, mas criar uma atmosfera agradável para escrever bem.

Quando você estabelece um tempo máximo para escrever, a partir do momento que você colocar uma frase que seja no papel, você poderá sentir que já fez algo para alcançar seu objetivo. De palavra em palavra, o seu livro vai ficar cada vez mais próximo da conclusão.

Com um limite de tempo, a “inspiração” dura mais

Outro ponto positivo dessa técnica, que muitas pessoas não sabem, é que quando você para de escrever enquanto ainda se sente criativo, maiores são as chances de você não ter um bloqueio criativo no dia seguinte. Isso porque as ideias que você não botou no papel continuarão guardadas na sua cabeça, prontas para serem escritas.

Dessa forma, fica muito mais fácil estabilizar a produtividade, equilibrando os dias bons e ruins, evitando a frustração e a procrastinação.

Caso você sinta que o tempo máximo estabelecido não é mais o suficiente e está limitando a sua produtividade, é sinal de que você deve aumentar o limite. No começo, escrever 20 minutos por dia pode ser ótimo, mas para um escritor mais experiente, talvez seja ideal escrever pelo menos uma hora por dia. Comece debaixo e aumente aos poucos.

Encontre uma motivação tangível

A motivação é aquilo que nos leva a fazer algo. Sem ela, até mesmo sair da cama pode ser complicado. Em geral, é mais fácil realizar as tarefas do dia-a-dia porque temos motivações nítidas, mas quando o assunto são nossos próprios projetos, pode ser mais difícil porque não se trata de uma obrigação e a motivação parece um sonho distante.

Por isso, é uma boa ideia você encontrar uma motivação para escrever aqui e agora. Algo que faça sentido no presente, que você consiga visualizar com clareza. Para isso, nós temos três sugestões: contar suas conquistas, criar uma competição ou estabelecer parcerias.

Contando suas conquistas

Se você se sente motivado quando tem metas para alcançar e recordes para quebrar, contar suas conquistas pode ser exatamente o que precisa. Por exemplo, você pode estabelecer uma quantidade de palavras para escrever dentro de um limite de tempo específico, ou marcar sua produtividade recorde em palavras por hora.

Caso você ainda não tenha começado a escrever e esteja na etapa de fazer um enredo bem planejado ou pesquisar para escrever um livro, pode criar uma lista com tudo o que precisa ser feito, de modo que você não vai ficar parado sem dar continuidade ao projeto só porque não sabe por onde começar ou o que fazer em seguida.

Competição amigável

A competição, por sua vez, é ótima para quem produz melhor quando sente que corre o risco de ser ultrapassado por alguém. Nesse caso, um bom método é estabelecer um tempo de duração para a competição (ex.: um mês) e, no fim desse período, comparar a quantidade de palavras que cada um escreveu.

A ideia da competição não é avaliar a qualidade do trabalho de cada um, mas sim incentivar ambos os participantes a escreverem mais. Cada autor tem uma voz única, que não deve ser comparada. E, de qualquer forma, a preocupação com a qualidade deve vir em outra etapa, que é a hora de editar seu próprio livro.

Parcerias na escrita

Quando falamos de parceria, não queremos dizer que você deve escrever um livro junto com um amigo, mas sim contar com uma pessoa para avaliar o seu progresso. Por exemplo, você pode pedir para um amigo ler tudo o que você escreveu ao fim de cada mês.

Essa estratégia funciona muito bem para pessoas que têm dificuldade para encontrar motivação sozinhas, mas que sabem manter os compromissos que têm com outras pessoas. Dessa forma, o fato de você precisar entregar um texto pronto no fim do mês pode impulsionar a escrita como uma responsabilidade verdadeira.

Para encontrar o método que melhor funciona para você, o ideal é dar uma chance para todos, experimentando um de cada vez por pelo menos um mês. Pode ser que a primeira opção que você considere não seja a que funciona melhor. Só tentando para saber.

E aí, autor? O que você achou dessas dicas para escrever um livro? Tem alguma outra ideia fora da caixinha para escrever mais? Compartilhe conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *