5 Dicas para escrever um poema

O que é ser um poeta, hoje em dia? Qual é a reação que você desperta nas pessoas ao proferir as palavras “sou poeta”?

A princípio, ser poeta é ser a pessoa que escreve poesia, pura e simplesmente. Pode-se também argumentar que o poeta é quem faz disso sua profissão ao publicar livro de poesia. Em um viés mais romantizado, você pode considerar poeta apenas quem conseguir criar com suas palavras o que quer que seja que possa ser considerado “alta literatura”.

O que é comum é, ao proferir essas palavras, despertar um estranhamento em quem ouve. Talvez porque o que define um poeta possa parecer algo tão solto. O quão enraizada na poesia deve ser uma pessoa para decidir se apresentar ao mundo assim, como poeta? E talvez porque a poesia em si seja solta, aberta a diversas formas e definições.

Teóricos estudam e debatem, mas não conseguem chegar a uma só conclusão sobre o que é poesia (ou mesmo literatura, como um todo). O que existem são diferentes correntes teórico-literárias e juízos de valor.

O público recebe a própria poesia com estranhamento. Por que essa escolha de forma? Por que esse texto parece um enigma? Poesia nem sempre é simples de se entender. Seja a sua mensagem ou a sua própria razão de existir.

Por essas e outras, tentar ensinar a alguém como fazer poesia não é uma tarefa simples. Mas, nas nossas dicas de autopublicação, já trouxemos conselhos para quem diz “Não sei escrever poesia” e ensinamos Como escrever um poema em 10 passos.

Hoje, vamos trazer dicas para quem quer treinar a mão nessa forma tão intrigante e tão diversa da literatura.

1.     Leia muita poesia, conheça diferentes movimentos

Se você quer entender o que é poesia, leia. Se você quer entender como se faz poesia, leia.

Não há outra saída.

Experimente através da leitura toda a variedade de estilos, formas e gêneros que a poesia pode oferecer. Não se prenda a só um movimento literário. Vá do modernismo ao parnasianismo. Leia de tudo um pouco até encontrar nas formas o seu lar.

É justamente pela poesia ter tantas possibilidades diferentes que você deve conhecê-la a fundo, em toda sua amplitude. Um poema pode seguir estruturas clássicas rígidas ou ser um quebra-cabeça estético. Ele pode ter uma mensagem profunda ou se dedicar apenas à beleza. Ele pode ter quatro versos ou consumir mais de cem páginas.

Não há limites óbvios para a poesia. Portanto, explore até encontrar a poesia que você ousa chamar de sua.

Dica prática: acesse sites que disponibilizem gratuitamente poemas de domínio público, como o escritas.org. Leia livros de antologias de poemas, sejam clássicos, contemporâneos ou de nichos específicos. Assista a poetas recitando poesias, não só no Youtube, mas em lives, saraus, slams.

2.     Escreva como se ninguém fosse ler

Nada melhor para praticar a escrita do que apenas escrever. Contudo, a falta de confiança é um mal que assola muitos escritores iniciantes, quem dirá poetas. Há um enorme medo de “fazer errado”, de “ser ruim”. Esqueça tudo isso.

Escreva como se ninguém fosse ler seu poema. Não pense no amanhã, não pense na opinião dos outros. Não pense nem mesmo na sua própria opinião. Não critique seu poema enquanto o escreve. Apenas deixe fluir.

Deixe as palavras caírem na página em branco, preenchendo-a aos poucos. Faça isso aos montes, sem pensar demais. Escreva sobre qualquer coisa.

3.     Faça exercícios com prompts de escrita

Se as ideias faltarem, ou caso você queira desenvolver um senso mais apurado de como se expressar sobre temas planejados, você pode fazer alguns exercícios usando “prompts” de escrita. Isto é, um tema pré-concebido que você pode usar como base para o seu poema. Por exemplo, uma foto.

Exercício 1:

Escreva um poema que comece com a descrição de uma foto. Explore a sua reação à foto, como as memórias que ela lhe traz ou o significado que ela tem para você.

Exercício 2:

Encontre uma foto que você mesmo tirou. Agora, escreva um poema que descreva o momento em que você tirou essa foto, a gênese dessa fotografia específica. O que estava acontecendo com você nesse momento? Por que você tirou essa foto? O que fez você documentar esse momento?

Exercício 3:

Encontre uma foto de paisagem que você mesmo tirou. Escreva um poema que descreva esse lugar com precisão, tornando-o imaginável para alguém que nunca viu esse cenário. Concentre-se na aparência da paisagem, não em uma percepção subjetiva.

4.     Experimente estilos diferentes

Você já leu diversos tipos de poesia, mas e escrever? Suas poesias seguem sempre o mesmo modelo ou você se aventura em diferentes correntes e estilos?

Tente escrever um soneto. Depois tente escrever um haiku. Escreva uma ode. Depois uma elegia.

Seja modernista hoje, romântico amanhã. Experimente.

Lembre-se que para sua poesia entrar em uma determinada categoria, existem regras que devem ser seguidas. Você não pode escrever um poema com 7 versos e chamá-lo de haiku.

Por isso, talvez esse não seja o melhor exercício para quem ainda está tentando se soltar e não conseguiu colocar as primeiras palavras no papel. Regras demais podem inibir a criatividade de algumas pessoas.

Contudo, se você já tem confiança para escrever, mas ainda precisa se encontrar na sua poesia, pode ser a hora perfeita de você estudar os aspectos formais de cada gênero e se aventurar.

Quem sabe você se encontre em uma dessas tentativas? Ou até mesmo faça uma mistura única de estilos que defina a sua própria estética literária? Só experimentando você saberá.

5.     Não seja exigente demais consigo mesmo

Às vezes, o que mais atormenta a alma de um aspirante a poeta é a dúvida: “essas palavras que escrevi podem mesmo serem consideradas poesia?”. E sabe por que essa dúvida é boba? Porque ela ignora o que há de mais belo na poesia: sua diversidade.

Embora existam, sim, gêneros poéticos rígidos e regrados, não são esses gêneros que definem o que é a poesia como um todo. A poesia pode ser de tudo um pouco, pode ter tantas formas diferentes quanto se pode imaginar.

Portanto, não existe uma forma errada de se fazer poesia. Existem apenas formas diferentes. E que, sim, podem ser sujeitas a um juízo de valor, mas continuarão sendo poesia.

Se você quer publicar ebook, precisa estar disposto a receber críticas. Basta o seu livro receber um pouco de atenção e elas virão, sejam boas ou ruins. O que realmente importa, no fim do dia, é como você se sente em relação à sua poesia.

A literatura é, afinal, de todos para todos.

E aí, autor? Já está pronto para escrever um livro de poemas?

Caso você tenha gostado desse artigo, dê uma olhada também em:

Escrevendo um poema em 10 passos

Não sei como escrever poesia

Tudo sobre como escrever um livro de poesias

Como escrever um conto ou poema fascinante com Edgar Allan Poe

5 Comentários

  1. Sergio

    Preciso escrever um livro !!!!
    Detalhe :
    Não pego em caneta nem gosto de digitar no celular,Não tenho computador!
    O que faço?

    Responder
    1. SERGIO CAMPOS DA SILVA FILHO CAMPOS

      Só tenho instagran porque meus filhos montaram pra min!
      BRAZILIAN JIN CARREY

      Responder
      1. SERGIO CAMPOS DA SILVA FILHO CAMPOS

        Alguém pode me responder no watsup 13997247684?!!!!!

        Responder
    2. Letícia Ribeiro

      Vá escrevendo a caneta (acho que em letras de forma será menos cansativo), enquanto isso, junte dinheiro pra comprar um computador. Qualquer um, dês de que dê para escrever no WORD, ou algo do tipo. Espero que ajude!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *