Como vencer o bloqueio criativo

Todos já nos deparamos com o momento assustador em que olhamos para uma página em branco e apenas não conseguimos encontrar as palavras certas para escrever. Mais cedo ou mais tarde, pode acontecer com qualquer escritor.

É o terrível e famigerado bloqueio criativo. Quando simplesmente não sabemos como ou o que escrever. Apesar desse mal poder cair sobre qualquer escritor, existem maneiras práticas para se lidar com ele. Inclusive, alguns autores sequer acreditam que o bloqueio seja um problema real.

Por trás do bloqueio criativo

O primeiro passo para vencer essa batalha é conhecer seu inimigo. De onde vem o seu bloqueio? As causas mais comuns são perfeccionismo, falta de planejamento e medo. Cada uma tem suas peculiaridades e, caso você confunda as motivações do seu bloqueio, pode aplicar a solução errada e não chegar a lugar nenhum.

A busca da perfeição

O bloqueio perfeccionista acontece quando o escritor quer que cada pequeno detalhe esteja perfeito antes de começar ou continuar a escrever. Embora a perfeição não seja um objetivo intrinsicamente ruim, ela precisa ser dosada e aliada à realidade. Feito é melhor do que perfeito.

Se você nunca concluir seu livro porque ficou esperando os planetas se alinharem e trazerem inspiração, tenha certeza de que será pior do que um livro concluído e “imperfeito”. Além do mais, a perfeição não passa de uma utopia inatingível. Dê o seu melhor, mas não espere por ela.

Medo de ser rejeitado

O bloqueio por medo é muito semelhante ao perfeccionista em consequência e solução. As vítimas do medo não conseguem escrever seus livros porque não se sentem bons o suficiente e receiam que expor sua escrita ao mundo trará opiniões negativas.

Diferente dos perfeccionistas, no entanto, para esses escritores não existe um “momento perfeito” nem mesmo na imaginação. A questão é: esse é apenas mais um motivo para escrever, mesmo que você não enxergue dessa forma.

É verdade que todo autor publicado está sujeito a críticas, mas isso não significa que seu trabalho seja inútil. Todas as pessoas têm o direito de se expressar, e cada indivíduo tem uma capacidade única de escrever de modo que nenhuma outra pessoa seria capaz.

Tanto o bloqueio perfeccionista quanto o bloqueio por medo podem ser resolvidos com uma medida simples: escrever. Não há outro remédio ou solução melhor. Pare de esperar o momento perfeito. Pare de achar que sua escrita não vale a pena. Viva o agora.

Caso você ainda não esteja satisfeito e queira algumas soluções práticas, não se preocupe. Continue lendo.

Falta de planejamento

Por outro lado, alguns escritores se deparam com o bloqueio criativo quando ainda não planejaram seus livros o suficiente. Botar no papel a primeira ideia que vier à cabeça pode não dar frutos tão bons. Apesar de ser uma boa prática de escrita, nem todas as ideias merecem ser levadas adiante.

Nesse caso, a melhor solução é pesquisar e planejar o seu ebook antes de escrever. Faça um índice dos capítulos, organize o conteúdo de cada um deles. Caso a sua obra seja de ficção, crie biografias dos personagens, monte uma linha do tempo e pensa nos eventos importantes da história.

Se o gênero do seu ebook exige uma pesquisa mais aprofundada, aproveite essa oportunidade para colocar seu conhecimento em dia. Estude tudo sobre o tema abordado e faça anotações detalhadas de todo o conteúdo.

Cuidado para não confundir o perfeccionismo ou medo com a falta de planejamento. Muitos escritores usam o planejamento como uma desculpa para procrastinar. Pesquisar é importante, mas não mais do que se dedicar à escrita em si.

Soluções divertidas para o bloqueio

A esse ponto, você já deve saber, por alto, qual o motivo por trás do seu bloqueio. Mas, “apenas escreva” não parece uma solução fácil ou convincente, não é? Por isso, pensamos em algumas soluções divertidas que podem ajudar.

Tente se distrair um pouco

Às vezes nossa mente fica exausta e precisa de um descanso. É a oportunidade perfeita para você não escrever sem pesar a consciência. Pare agora e vá deitar um pouco, quem sabe assistir uma série ou apenas sentir o tempo passar enquanto observa uma paisagem bonita?

Cuide de você mesmo. Quem sabe quando você voltar a escrever não terá sua criatividade restaurada? Ficar batendo a cabeça contra a parede nunca ajuda ninguém. Seja bondoso consigo mesmo.

Busque inspirações

Se tornar escravo da inspiração é uma das piores coisas que um escritor pode fazer contra si mesmo. Não espere que ela venha até você. Vá até ela por conta própria.

Apesar do melhor remédio continuar sendo a dedicação à escrita, nos momentos de bloqueio, é útil e agradável buscar aquilo que inspira e motiva você. Leia seus autores favoritos, assista filmes que mexem com seus sentimentos. Lembre dos motivos pelos quais você escreve.

Você também pode tornar essa sessão de inspiração em exercícios. Experimente reescrever uma cena imitando os estilos de autores diferentes. Teste sua adaptabilidade. E lembre-se de anotar qualquer ideia interessante!

Brainstorming

Do inglês, “tempestade cerebral”, essa técnica foi desenvolvida por um publicitário americano e é muito utilizada em dinâmicas de grupo, com o intuito de explorar a capacidade criativa dos participantes.

O brainstorming consiste em propor diversas ideias, uma após a outra, sem descartar ou criticar nenhuma. O objetivo é acumular o máximo de ideias possível para, no fim, se chegar a algo inovador e que atenda aos interesses e necessidades de todos.

Anote todo e qualquer pensamento, inclusive as modificações ou adições a ideias anteriores. No final, é capaz de você estar cheio de gás e conteúdo para botar no papel.

Converse com alguém especial

Algumas pessoas parecem ter sido feitas para alegrar nossos dias e nos motivar a seguir em frente. Outras podem ir mais longe e nos auxiliar com o brainstorming e outros exercícios de escrita. Se você tem uma pessoa assim, considere conversar com ela.

O assunto pode ser tanto o seu bloqueio criativo, como desabafo ou proposição de soluções, ou algo que nada tem a ver com escrita. O foco principal é utilizar a presença dessa pessoa para reabastecer suas energias.

E, é claro, lembre-se de sempre mostrar gratidão a quem ajuda você nas horas difíceis. Gentileza gera gentileza.

Crie arte sem compromisso

Se você é escritor, provavelmente tem algum carinho pelas artes. Muitas vezes, mesmo que a sua motivação para se tornar um autor tenha sido o amor pela escrita, a obrigação diminui a satisfação em escrever.

Por isso, experimente fazer qualquer atividade artística sem compromisso. Que tal escrita livre? Isto é, escrever o que vier a cabeça, sem pensar em regras ou prazos. Apenas escreva. Sem críticas ou impedimentos. Se solte nas palavras. O assunto pode até mesmo ser o bloqueio em si. Não se preocupe com nada.

Caso você não esteja no clima para escrever, tudo bem fazer outras atividades. Desenhe, pinte, dance. Não importa se você se considera bom ou ruim. Tente superar essas barreiras. O seu objetivo agora é se soltar para que, quando você retornar à escrita regrada, você se sinta mais leve.

Pratique exercícios

Exercícios são bons para quase tudo. Inclusive para a escrita e o pensamento criativo. Corra um pouco, faça alguns polichinelos ou abdominais. Bote seu sangue para circular e a cabeça para funcionar.

Algumas crianças e adultos ansiosos têm o hábito de correr ou andar pela casa quando estão pensando. Embora possa parecer estranho, é uma atividade que faz perfeito sentido. Experimente você também.

Torne seu ambiente agradável

A última dica divertida é dar o seu melhor para transformar seu local de escrita em um ambiente mais agradável. Lugares sujos e bagunçados costumam desestimular as pessoas, não importa qual atividade elas desempenhem.

Além do básico, que é limpar e organizar, procure incluir elementos estimulantes. Por exemplo, separar uma mesa para trabalho e pendurar quadros motivadores, até mesmo um quadro branco onde você poderá anotar suas ideias imediatas.

Outra ideia interessante é otimizar seu local de trabalho com elementos práticos. Escrever um livro costuma exigir mais do que um arquivo no Word, mas também diversas anotações e referências. Organize-as e deixe-as em um local de fácil acesso enquanto escreve.

Por fim, pense em agradar e cuidar de si mesmo. Que tal um café ou outro alimento ou bebida energizante? Pode ser o que falta para você começar a escrever. Seu bem-estar vem em primeiro lugar.

Soluções chatas, porém necessárias

Já apresentamos várias soluções agradáveis para o seu bloqueio, mas se você se contentar só com elas, é possível que fique um pouco mimado e não resolva o problema por completo. O remédio às vezes é amargo, mas é melhor tomá-lo do que continuar doente.

Então, vamos a dicas não tão atraentes, porém necessárias.

Elimine distrações

Adeus Facebook, Twitter, Instagram, TV, Netflix e todas as outras distrações tão atraentes que afastam você do que importa. Existe uma hora para tudo nessa vida, e agora (ou logo após você terminar este artigo) é hora de escrever.

É muito fácil sucumbir ao bloqueio quando as notificações estão borbulhando na tela do seu computador ou smartphone. Ou tem aquela série nova esperando para ser maratonada… não caia em tentação.

Caso você não consiga se controlar, existem alguns aplicativos como o Freedom que permitem que você bloqueie os aplicativos e sites que quiser em todos os dispositivos por quanto tempo for necessário.

Trabalhe em seu livro

É possível que você não esteja conseguindo escrever porque existem problemas no conteúdo que você idealizou para o seu ebook. Ou seja, seu bloqueio criativo é motivado pela falta de planejamento. Logo, você deve planejar.

Faça qualquer atividade que possa ajudar no desenvolvimento do ebook. Como mencionamos anteriormente, você pode organizar capítulos, pesquisar, etc. Se o seu livro não depende de uma estrutura linear, experimente escrever fora de ordem. Talvez o problema que o paralizou em uma parte específica não existirá em um capítulo mais adiante.

Preencha espaços vazios, entenda o que deu errado. Pode ser que você não esteja satisfeito com o rumo que seu livro tomou. Nesse caso, a solução pode ser excluir diversas partes e substituí-las com conteúdo que faça mais sentido.

Siga uma rotina

Mesmo os maiores artistas tinham rotinas fixas. Há um consenso entre a maioria de que, para se tornar um autor, você precisa trabalhar tão a sério quanto qualquer outro profissional. Isso envolve disciplina e dedicação.

Separe uma quantidade mínima de horas para dedicar à escrita diariamente. Não passe um dia sem escrever. Você pode estabelecer metas com base na sua produtividade, por exemplo, escrever pelo menos 1000 palavras por dia.

Evite trabalhar mais do que aguenta. Rotinas de trabalho devem ser realistas e saudáveis. Apesar de todos serem capazes de encontrar tempo ao reorganizar as prioridades, ainda precisamos nos alimentar e descansar.

Rotinas envolvem estabilidade, e caso você tenda a se dedicar demais, estabeleça um tempo máximo para a escrita diário também. O foco é transformar isso em um exercício diário, não produzir loucamente.

O resultado é, muitas vezes, que algo igual ou muito semelhante à inspiração se tornará parte da sua rotina.

Não pense demais

Ao enfrentarmos o bloqueio criativo, é comum nos perdemos em pensamentos pessimistas, existencialistas ou qualquer nome que você dê para seus demônios. Não siga esse caminho. O existencialismo de um escritor é válido somente como alimento para livros com essa temática.

Veja o seu bloqueio como um bicho-papão. Ele quer se alimentar das suas inseguranças e fazer de tudo para que você continue sem escrever. Perder tempo pensando em coisas que não trarão bem estar nem ajudarão na escrita é deixar o bloqueio vencer. Ou seja, é impensável.

Então, não pense.

Escreva

Sim, você já sabe disso. E, sim, estamos repetindo.

Distraia-se, inspire-se, exercite-se, faça tudo de bom e melhor, mas no fim do dia, volte ao que mais importa: escreva. Só escrevendo você superará o bloqueio.Todas as outras dicas são apenas preparação para isso.

Muito bem. Já ajudamos com todas os conselhos. E agora, está esperando o quê?

Vá escrever.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *